Despedida? Everton revela proposta e não garante presença contra o Bahia: “Incógnita”

O Grêmio venceu o Vasco de virada por 2 a 1 com dois gols de Pepê neste sábado, na Arena, pela 10ª rodada do Brasileirão. Mas o assunto que mais repercutiu após a partida foi Everton e sua cada vez mais iminente saída do clube – como já virou rotina nos bastidores gremistas.

Ao passar pela zona mista depois do triunfo, Cebolinha revelou que recebeu uma proposta de um clube europeu, ainda mantido em sigilo. Em tom enigmático, o atacante disse que sua presença no jogo da volta das quartas de final da Copa do Brasil contra o Bahia, na próxima quarta-feira, às 19h15, na Fonte Nova, é incerta.

– Não sei. É uma incógnita. Realmente. Não sei o que pode acontecer. Quando vai passando o tempo, as coisas vão se afunilando. É esperar. Tenho proposta. Não posso falar o clube. Não garanto que jogo na quarta-feira contra o Bahia, vamos ver – disse o atacante.

Everton, atacante do Grêmio  — Foto: Tomás Hammes

Everton, atacante do Grêmio — Foto: Tomás Hammes

“É esperar. Tenho proposta. Não posso falar o clube. Não garanto que jogo na quarta-feira contra o Bahia, vamos ver”

Everton já havia adotado discurso semelhante na última quarta-feira, após o empate em 1 a 1 com o Bahia pela Copa do Brasil. Mas com um avanço: a dita oferta de um clube do exterior. Antes, o Cebolinha havia afirmado que recebeu apenas consultas até o momento.

Conforme apurado pelo GloboEsporte.com, o cenário ainda é indefinido, com muitos clubes interessados. E que se renovam. Recentemente, Atlético de Madrid e Napoli na briga com gigantes como Manchester United e Bayern de Munique, estes mais antigos na corrida.

Os espanhóis fizeram contato com o estafe do jogador e sinalizaram que estão dispostos a pagar aproximadamente 35 milhões de euros (R$ 148,05 milhões) por Everton. Também acenam com dispositivos e variáveis que podem fazer o negócio aumentar em cerca de 10 milhões de euros (R$ 42,3 milhões).

Embedded video
See Tomás Hammes’s other Tweets

Ainda antes da Copa América, o Grêmio já deixara claro que só aceitaria “abrir conversas” a partir de 40 milhões de euros (R$ 169,2 milhões). A valorização de Cebolinha pela Seleção multiplicou a pedida e ambição gremistas, resumidas no discurso do presidente Romildo Bolzan: transformar Everton no “maior negócio de todos os tempos”.

Além disso, o Tricolor passa longe de estar em urgência de fazer a venda. As finanças estão equilibradas graças a dois grandes negócios recentes: as saídas de Arthur para o Barcelona e de Tetê para o Shakhtar Donetsk. Portanto, pode “colocar o dedo na moleira do comprador”, nas palavras do próprio presidente gremista.

Veja alguns dos gols mais importantes da carreira do Cebolinha desde a chegada ao Grêmio

Veja alguns dos gols mais importantes da carreira do Cebolinha desde a chegada ao Grêmio

Outros dois fatores dificultam (ainda mais) a liberação. A começar pela divisão de percentuais. O Grêmio tem direito a 50% dos direitos do Cebolinha. Os outros 50% estão repartidos da seguinte forma: 30% ao empresário Gilmar Veloz, 10% ao Fortaleza e 10% ao investidor Celso Rigo.

Com a vitória, o Grêmio sobe para a 8ª colocação no Brasileirão, com 14 pontos. No próximo sábado, às 19h, o Tricolor enfrenta o Inter no Beira-Rio, no Gre-Nal 421, pela 11ª rodada.

Antes, o Grêmio volta a concentrar forças na Copa do Brasil. Na quarta-feira, às 19h15, faz o jogo de volta pelas quartas de final contra o Bahia. Como empatou em 1 a 1 na Arena, precisa vencer na Fonte Nova. Novo empate leva a decisão para os pênaltis.