Abad detona arbitragem e ameaça “abandonar” Carioca: “Não respeita o Fluminense”

Costumeiramente avesso a dar muitas entrevistas, o presidente do Fluminense, Pedro Abad, desejou se manifestar logo após a derrota para o Vasco na noite deste sábado, em Brasília. Visivelmente irritado, o mandatário tricolor detonou o pênalti não marcado pelo árbitro Carlos Eduardo Nunes Braga em lance onde Bruno Silva teve a camisa puxada dentro da área.

Bruno Silva reclama de pênalti não marcado, aos 9′ do 1ºT
Tempo Real
Bruno Silva reclama de pênalti não marcado, aos 9' do 1ºT

Bruno Silva reclama de pênalti não marcado, aos 9′ do 1ºT

Em tom de desabafo, declarou que o clube vem sendo sistematicamente prejudicado com erros de arbitragem nos últimos anos no Campeonato Carioca, ameaçou não utilizar mais os principais jogadores, inclusive Ganso, na competição e disse que o torneio deveria acabar.

– O que vimos hoje foi uma vergonha dentro de campo. Pênalti óbvio no Bruno Silva e o juiz do lado não viu. Vergonhosa a atuação (da arbitragem). Fez o que pôde para irritar os jogadores do Fluminense, o tempo inteiro cortando as linhas de passe, fazendo o possível para travar o jogo.

 

– O que eu entendo, depois de tantos anos com erros de arbitragem, é que realmente o Campeonato Carioca não respeita o Fluminense. Se o Campeonato Carioca não respeita o Fluminense, o Fluminense vai passar a não respeitar o Campeonato Carioca.

Abad diz que Campeonato Carioca tem que acabar — Foto: Felipe Siqueira/GloboEsporte.comAbad diz que Campeonato Carioca tem que acabar — Foto: Felipe Siqueira/GloboEsporte.com

Na última quinta-feira, o Fluminense anunciou a contratação de Paulo Henrique Ganso. Abad disse que vai recomendar que Fernando Diniz não use o reforço no Campeonato Carioca. Pelo contrário, defende mandar um time reserva para a semifinal no próximo fim de semana.

– A gente acabou de fazer uma contratação importante (Ganso), pretendo realmente não estreá-lo no Campeonato Carioca, usar o mínimo possível. Vou conversar com o Fernando Diniz para ver que time usar no domingo, provavelmente abandonar essa semifinal,para nos concentrarmos na Sul-Americana e Copa do Brasil, campeonatos que realmente respeitam a tradição do Fluminense.

Na sequência, ainda em tom duro, Abad chegou a sugerir que os torcedores também boicotassem a competição:

 

– Nosso torcedor não é idiota, está cansado de ver essa palhaçada. Dá vontade de recomendar ao torcedor que não vá, que abandone o Campeonato Carioca, para ficar muito claro para todo mundo o que está acontecendo. Não pode acontecer o que aconteceu hoje, uma vergonha.

 

– Parabéns ao Vasco, ganhou o jogo, não tiro os méritos. Mas a gente fica trabalhando para colocar um time competitivo em campo, que luta, e aí tem que ficar passando por isso… Uma vergonha. Como disse o Fred uma vez, o Campeonato Carioca tem que acabar mesmo, não dá não, cansou, é a mesma coisa sempre. Então, que se dane o Campeonato Carioca.

– Vamos focar na Sul-Americana, na Copa do Brasil, fazer uma festa bonita para Ganso na Sul-Americana. No Campeonato Carioca a gente usa time reserva, alternativo… Vamos esquecer isso. Pelo jeito, não é para o Fluminense não. Estou desistindo, vou conversar com o Fernando. Se possível, vamos poupar o máximo no Carioca. Deixar para outras competições que entendem que o Fluminense tem que ser respeitado – concluiu Abad.

Perguntado sobre os episódios que o levaram a ter essa opinião, Abad disse:

– Tem que perguntar às pessoas que dirigem o futebol do Rio. O Campeonato Carioca em 2017 já foi a mesma coisa. Os erros todo mundo já sabe quais são. Não vou ficar enumerando aqui não, para não ficar mais irritado. Está óbvio, está nítido. Entendemos o recado: o Fluminense é feito para não conseguir avançar. Perfeito. Vamos partir para outros campeonatos. E o Campeonato Carioca passará a ter três quartos dos times grandes jogando porque o Fluminense vai se desvencilhar deste peso nas pernas – concluiu.

Ante da semifinal da Taça Guanabara, o Fluminense entra em campo no meio da semana pela Copa do Brasil: vai pegar o River-PI, terça, às 21h30.

pp21