Ex-volante permanecerá no cargo de gerente de futebol até o fim de 2017, mas não fica para 2018; justificativa envolve a saída de outros profissionais, como Vicintin e Guilherme Mendes

Paulo César Tinga não será mais o gerente de futebol do Cruzeiro a partir de 2018 e segue o mesmo caminho de Bruno Vicintin, então vice-presidente de futebol do clube e que também deixou o cargo. O ex-volante convocou uma entrevista coletiva na Toca da Raposa II e anunciou, na manhã desta sexta-feira, que está de saída do clube. Reiterou a “obrigação” de permanecer até dezembro e cumprir o que combinou com Gilvan de Pinho Tavares, o atual presidente. Ele justificou a saída com um comunicado e garantiu que não tem nada contra a diretoria eleita.

Tinga não será mais o gerente de futebol do Cruzeiro na próxima temporada (Foto: Reprodução/ TV Globo MInas)Tinga não será mais o gerente de futebol do Cruzeiro na próxima temporada (Foto: Reprodução/ TV Globo MInas)

- Me desligo, mas não contra pessoas que estão entrando, porque não conheço e não posso falar bem nem mal. Entendo as mudanças que acontecem. Só tenho a agradecer ao Cruzeiro, um clube que tenho uma gratidão gigante. Não estou deixando o Cruzeiro, estou acompanhando meus princípios. Quando cheguei, sem muita experiência em algumas áreas, as pessoas que mais me ajudaram foram o Guilherme Mendes (diretor de comunicação), o Pedro (Moreira, supervisor de futebol), o Klauss (Câmara, diretor de futebol) e o Bruno (Vicintin, vice-presidente de futebol). A minha decisão não está atrelada à decisão de ninguém. Não saio porque o Bruno saiu. Saio para acompanhar os princípios que tive durante toda a vida. Não é nada contra quem está entrando, só estou acompanhando o meu princípio de jamais deixar para trás as pessoas que me ajudaram.

A nova direção do Cruzeiro – liderada pelo presidente eleito Wagner Pires de Sá – promoveu, nos primeiros dias após a eleição, mudanças significativas no comando do clube. A mudança mais sentida, até aqui, foram a saída de Bruno Vicintin, considerado o lider do grupo que dirigia o Cruzeiro ao lado de Gilvan, e a chegada de Itair Machado para a vice-presidência de futebol.

Tinga era uma pessoa muito elogiada nos bastidores pelo relacionamento que tinha com os jogadores e dirigentes do clube. O ex-volante era o intermediador e a voz dos jogadores perante à diretoria. Ele só ficaria no cargo se a atual diretoria fosse totalmente mantida, pois considerava que a manutenção do trabalho era decisiva para 2018. Entretanto, isso não ocorrerá.

Tinga era uma pessoa muito elogiada nos bastidores pelo relacionamento que tinha com os jogadores e dirigentes do clube. O ex-volante era o intermediador e a voz dos jogadores perante à diretoria. Ele só ficaria no cargo se a atual diretoria fosse totalmente mantida, pois considerava que a manutenção do trabalho era decisiva para 2018. Entretanto, isso não ocorrerá.

Tinga deixará o Cruzeiro no fim de dezembro (Foto: Gabriel Duarte)Tinga deixará o Cruzeiro no fim de dezembro (Foto: Gabriel Duarte)

Tinga deixará o Cruzeiro no fim de dezembro (Foto: Gabriel Duarte)

# Compartilhe...FacebookTwitterGoogle+LinkedInPinterestEmail