Os dois suspeitos de envolvimento em um furto a uma loja de celulares, em Caratinga, são tio e sobrinho.
José Maria Lopes, de 30 anos, e Daivid Lopes Domingos Gonçalves, de 18 anos, conhecido como “Pisquila”, foram presos pela Polícia Militar na Rua João Tiola, no Bairro Esperança, nesta sexta-feira (26/10).

A loja autorizada Vivo, que fica na Avenida Benedito Valadares, no Centro, foi furtada no último dia 19. A loja teve um prejuízo em torno de R$ 100 mil, segundo a polícia.

Foram levados 33 celulares, além de outros materiais como um notebook e um tablet. A polícia teve acesso às imagens das câmeras de segurança da loja, mas inicialmente não foi possível identificar a autoria.
Na data de hoje, conforme tenente Anderson, um homem tentou habilitar um dos celulares furtados. A empresa reconheceu como sendo um dos telefones levados no dia do furto e chamou a polícia.

“Conversamos com ele e afirmou que havia comprado de outro rapaz, que disse ser lícito o produto, falando que futuramente iria trazer a nota fiscal para ele, e nos indicou quem seria. Nós tínhamos a suspeita dos autores do furto. Que um seria o Daivid, mas não conseguimos concretizar porque as imagens não aparentavam ser ele”, explicou o tenente.

Os policiais montaram uma operação e foram até a casa do suspeito Pisquila, que foi cercada, sendo procedidas buscas em vários imóveis de familiares.

“Encontramos com ele no imóvel e no imóvel de baixo morava esse parente dele. Que logo que a gente chegou e identificou o parente dele, nós vimos que ele tinha muita semelhança com o autor visto nas câmeras. Fizemos esta comparação e o identificamos prontamente. Inicialmente ele negou a participação e localizamos os materiais que tinham sido levados”, relatou o tenente.

Os militares recuperaram alguns dos celulares furtados, o notebook e um tablet, dentre outros materiais. De acordo com a polícia, os suspeitos confessaram a autoria do crime.

Roupas que teriam sido utilizadas no dia do furto e duas balanças de precisão também foram apreendidas. Uma marca de uma pegada deixada por um dos suspeitos na loja também ajudou a polícia a chegar até os autores.

“Na loja, depois de arrombada, logo pela manhã, a empresa fez contato com a gente e mostrou algumas pegadas dos autores, que poderiam chamar atenção. A nossa equipe de Inteligência esteve no local e fotografou algumas imagens que poderiam ser usadas futuramente. E, nessa residência fizemos questão de procurar vestimentas que foram visualizadas nas câmeras. Conseguimos localizar uma das blusas que o autor estava vestindo e esse tênis, a pegada era muito marcante. E, justamente, um par de calçados que estava no telhado secando era o da pegada. Que pertencia ao José Maria, principal autor que aparece com o rosto em mais evidência”, disse o policial.

Algumas pessoas também foram conduzidas à delegacia por suspeita de receptação. Os suspeitos ficaram à disposição da Polícia Civil para as demais providências do delegado de plantão.

Sequência 03.01_37_30_26.Quadro142 Sequência 03.01_37_37_09.Quadro143 Sequência 03.01_37_42_28.Quadro144 Sequência 03.01_37_48_16.Quadro145 Sequência 03.01_38_01_14.Quadro146 Sequência 03.01_38_09_15.Quadro147 Sequência 03.01_38_38_09.Quadro148

 

pp21

# Compartilhe...FacebookTwitterGoogle+LinkedInPinterestEmail