pontecapa-700x393

Em Itaperuna, RJ, já se passaram quase 10 anos e a ponte que deveria ligar os bairros Aeroporto/Frigorífico continua do mesmo jeito em que o Itaperuna News mostrou no ano passado, através do editorial “Ponte que já custou R$ 14 milhões liga nada a lugar nenhum”, ou seja, interminável.

No dia 27 de janeiro de 2009, o saudoso prefeito Cláudio Cerqueira Bastos – Claudão – esteve com alguns técnicos no Bairro Aeroporto (Itaperuna/RJ), com o intuito de começar a pensar num local onde poderia ser construída a ponte que ligaria os bairros Frigorífico e Carulas, aos bairros Aeroporto e Matadouro. Já se passaram oito anos, quando um dos técnicos, o engenheiro civil Luiz Pereira, disse que o primeiro passo do estudo seria definir a posição da ponte.

Naquela oportunidade, o engenheiro mencionou que estava olhando alguns pontos para analisar alternativas de onde a ponte poderia ser construída. Ainda informou que a ponte seria pré-fabricada em concreto pré-montado, o que facilitaria a armação de toda a estrutura.

Era o início de um sonho que até o presente momento, infelizmente, não se concretizou.

Prevista para ter 217,50 metros de comprimento por 13,30 metros de largura, já foram investidos cerca de R$ 14 milhões em uma ponte que liga nada, a lugar nenhum, pois, faltam os acessos. Ou seja, uma obra considerável, com alto investimento que não serve para absolutamente nada!

Nesses últimos oito anos foram inúmeras as notícias em torno do ‘elefante branco’ instalado no meio do Rio Muriaé. Encontros e desencontros nas múltiplas informações, que se multiplicavam em meio a desculpas que sucederam a meia dúzia de personagens, envolvendo prefeitos, vice-prefeitos, secretários, governador e ex-governador, deputados, ministros e até mesmo vereadores, todos na esperança de ser ‘o pai da criança’, do filho que não chegou a nascer.

Promessas de conclusão, longe de serem concretizadas, no concreto problema – de concreto e ferros – sobre as águas do Muriaé, testemunhas fiéis do sonho inacabado.

Vale relembrar que no início da obra, a responsabilidade da construção dos acessos seria por conta da Prefeitura de Itaperuna. Alguns anos depois, a administração municipal alegou que não teria recursos para a construção dos respectivos acessos e, sendo assim, o Governo do Estado do Rio de Janeiro assumiu também a construção dessa etapa da obra.

Entretanto, não há os acessos, somente a ponte – no meio do rio – sem utilidade alguma. Por enquanto são; nada mais, nada menos; que R$ 14 milhões jogados dentro do Rio Muriaé, um total desperdício do dinheiro público. Um descaso com a população itaperunense, que espera um ponto final nessa história, na verdade, dois pontos – de passagens – um de cada lado do rio.

HÁ UMA LUZ NO FIM DO TÚNEL, OU SERIA NO FIM DA PONTE?!

No Programa de Governo da atual administração consta a conclusão da referida ponte!

Teoricamente teremos que esperar mais quatro anos pela frente para que os acessos sejam construídos. Teoricamente, pois, pode ser que sejamos surpreendidos (e essa é a grande expectativa da população) e tenhamos a grata notícia da conclusão da obra em bem menos tempo, pelo menos, essa é a ESPERANÇA – em caixa alta, desse jeito mesmo.

JUSTIÇA SEJA FEITA COM A EQUIPE ATUAL… O atual governo está à frente da Prefeitura há menos de um mês, portanto, seria precipitado qualquer juízo de valor. Apostamos na sensatez, preferindo dar tempo ao tempo.

Então, seja em um, dois, três ou até mesmo em quatro anos (diante de todo histórico de construção) o que valerá mesmo, a essa altura do campeonato, é terminar a obra. O importante mesmo é que a atual gestão cumpra com esse compromisso assumido em campanha e resolva definitivamente essa ‘trágica novela’, que não tem nada de mexicana.

POPULAÇÃO CANSADA COM O ‘JOGO DE EMPURRA’ NO BRASIL

O que não pode acontecer (e acreditamos que isso não vá acontecer em relação à ponte) é a repetição do eterno jogo de empurra.

Entra e sai gestores – seja a nível Municipal, Estadual ou até mesmo Federal – que preferem orientar seus assessores a dizer que o problema é do outro e não apontam solução. Ou, prometem a solução do problema e, depois, respaldam-se na eterna ‘crise’ (criada única e exclusivamente por má gestão), para continuar postergando o problema, o famoso ‘empurrando com a barriga’.

E esse jogo, caríssimos leitores, todos nós já conhecemos!

Seja em Brasília, no Estado do Rio de Janeiro ou na esfera municipal… Todos nós conhecemos algum tipo de problema que se arrasta há anos e parece não ter solução. A ‘criatividade política’ se resume a notas – nada notáveis e esclarecedoras – divulgadas junto à mídia, que serão esquecidas pela população, em no máximo uma semana.

MEA CULPA

Aí, precisamos fazer a mea culpa e estarmos atentos a todos os passos dos políticos, seja em qualquer esfera, Municipal, Estadual ou Federal… E, cobrarmos!

Não podemos mais acreditar em ilusões!

Precisamos ir além… Se dermos um voto de confiança e se esse voto não for respeitado, nada mais justo do que nunca mais votarmos no político A, B ou C. A nossa maior arma, não é somente o voto, é também a consciência e, principalmente, a memória. A frase “o povo não tem memória” precisa ser excluída de nossas vidas, definitivamente.

E, para finalizar, reforçamos a esperança do povo de Itaperuna para que a ponte ‘mais famosa’ do Estado do Rio de Janeiro seja concluída!

A atual administração pode escrever o seu nome na história do município e, esta ponte, poderá ser apenas mais uma obra concluída pelas mãos da atual gestão. Como já mencionado, o atual prefeito assumiu as rédeas do governo há um mês, apenas. E, tem o crédito de 37.333 eleitores, a torcida dos demais itaperunenses na solução deste ‘problema gigante’ e, um grande aliado, o TEMPO… Terá quatro anos para concluir o projeto.

Itaperuna conta com isso!

Itaperuna News

# Compartilhe...FacebookTwitterGoogle+LinkedInPinterestEmail