A IFAB divulgou nesta semana a lista de proibições para os treinadores a partir de agora. É uma espécie de código de conduta em que os integrantes da comissão técnica ficam limitados praticamente a orientar seus jogadores. Qualquer coisa fora isso será passível de bronca, cartão amarelo ou vermelho.

Regras da IFAB sobre treinadores — Foto: ReproduçãoRegras da IFAB sobre treinadores — Foto: Reprodução

O código é tão restritivo que, se uma infração for cometida por um ocupante da área técnica e o infrator não puder ser identificado, quem pagará a conta é o treinador principal, que receberá o cartão no lugar do infrator desconhecido.

Entendo que a tentativa de preservar o espetáculo e promover maior respeito à arbitragem seja positiva, mas acredito que a Ifab passou um pouco do ponto. A lista das infrações passíveis de punição é enorme e ilimitada, ou seja, o árbitro pode dar amarelo ou vermelho por outros motivos que não foram listados nas regras. São superpoderes que servem para tornar a percepção do árbitro pelo público ainda mais autoritária e para distanciar a possibilidade e a necessidade de uma relação madura, propositiva e positiva entre árbitros e treinadores.

Antes dessa mudança, a regra já previa punição de treinadores e membros da comissão técnica que se comportassem de maneira inadequada. Isso sempre foi mais do que suficiente para coibir abusos e falta de educação dos treinadores. Faltavam então árbitros rigorosos e o apoio da instituição para continuar escalando o árbitro no jogo daquele time cujo técnico ele expulsou.

Alguns anos atrás, em um jogo do Brasileirão, um amigo meu, que é bandeirinha, chamou o árbitro (que não era eu) para expulsar um treinador renomado de um grande time por reclamar constantemente da arbitragem. Ele tentou por várias vezes acalmar o treinador até não aguentar mais. Depois desse jogo, o mesmo trio de arbitragem que estava nesse jogo foi escalado para apitar Série C a mais de 500 quilômetros de casa. Qual a mensagem que essa escala passou aos demais árbitros? Foi motivadora para continuar expulsando os treinadores que não se comportavam de maneira adequada?

Por essas e outras que a Ifab decidiu listar tudo o que os treinadores não podem fazer, caso queiram ficar na área técnica os 90 minutos. Resta saber se os árbitros vão cumprir ao pé da letra e se as instituições irão apoia-los.

Advertência (verbal)

As seguintes infrações quando cometidas por membros da comissão técnica resultarão em uma advertência verbal, e quando forem repetidas ou flagrantes deverão resultar em cartão amarelo ou vermelho:
1.entrar no campo de jogo de maneira respeitosa e não conflitiva;
2.não cooperar com a arbitragem, exemplo: ignorando uma instrução/pedido de um árbitro assistente ou quarto árbitro;
3.discordar de maneira leve, por meio de gestos ou palavras, de uma decisão da arbitragem;
4.sair da área técnica ocasionalmente, mesmo sem cometer qualquer outra infração;

Cartão amarelo

As infrações para cartão amarelo incluem (mas não estão limitadas a essas):
1.sair claramente da área técnica e com frequência;
2.retardar o reinício do jogo pelo seu time;
3.entrar intencionalmente na área técnica do outro time, mesmo que de maneira não conflitiva.
4.reclamar, por meio de gestos ou palavras, de uma decisão da arbitragem:
a)jogando/chutando garrafas ou outros objetos;
b)gesticulando de maneira desrespeitosa para a arbitragem, exemplo: bater palmas com ironia;
5.entrar na área de revisão do VAR à beira do campo;
6.gesticular excessiva e persistentemente para que seja aplicado um cartão amarelo ou vermelho;
7.mostrar excessivamente o sinal da TV pedindo uma revisão do VAR;
8.gesticular ou agir de maneira provocativa ou conflitiva;
9.comportar-se persistentemente de maneira inaceitável (incluindo advertências verbais repetidas);
10.demonstrar falta de respeito com o jogo.

Cartão vermelho

As infrações por cartão vermelho incluem (mas não estão limitadas a essas):
1.retardar o reinício do jogo pelo time adversário, exemplo: agarrar a bola, chutar a bola para longe, obstruir o movimento do adversário.
2.sair intencionalmente da área técnica para:
a)discordar, ou reclamar, da arbitragem;
b)agir de uma maneira provocativa ou conflitiva (fora da sua área técnica);
3.entrar na área técnica do time adversário de uma maneira agressiva e conflitiva;
4.jogar/chutar intencionalmente um objeto dentro do campo de jogo;
5.entrar no campo de jogo para:
a)confrontar a arbitragem (inclusive no intervalo ou no final do jogo);
b)interferir no jogo, em um jogador adversário ou na arbitragem;
6.entrar na sala de operação do VAR;
7.comportar-se de maneira agressiva (incluindo cuspir ou morder) um jogador adversário, um substituto, um membro da Comissão Técnica, a arbitragem, um torcedor ou qualquer outra pessoa, exemplo: gandula, segurança, delegado da partida etc.)
8.receber um segundo cartão amarelo na mesma partida;
9.usar linguagem ou gestos ofensivos, insultantes ou abusivos;
10.usar equipamento eletrônico ou de comunicação não autorizado e/ou comportar-se de maneira inadequada como resultado do uso do equipamento eletrônico ou de comunicação;
11.conduta violenta.

pp21

# Compartilhe...FacebookTwitterGoogle+LinkedInPinterestEmail