Não há registros de pessoas desaparecidas em Rio Casca

O cenário dos estragos é desolador após a enchente que atingiu Rio Casca, na Zona da Mata. O município afetado pelas fortes chuvas fica a cerca de 100 km de Caratinga. Centenas de pessoas ficaram desabrigadas. A inundação e os alagamentos, em Rio Casca, foram registrados pela Defesa Civil de Minas Gerais, nos dias 03 e 04 de dezembro. O distrito de Vista Alegre, zona rural, foi um dos locais mais afetados pelas chuvas, conforme a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec).

“Rio Casca e Vista Alegre são as duas localidades que estão mais sofrendo com problemas relacionados às chuvas. Nós temos uma equipe de apoio da Defesa Civil desde ontem, em Rio Casca, coordenando os trabalhos, para prestar socorro à população. Nós temos também mais duas equipes que se descolaram de helicóptero para o distrito de Vista Alegre, para prestar apoio a cerca de 800 pessoas, que se encontram neste momento desalojadas e que estão precisando de abrigo. Elas foram colocadas em uma escola no distrito e uma equipe se deslocou para oferecer ajuda humanitária”, disse o capitão da Polícia Militar João Paulo Fiuza da Silva, assessor de comunicação da Cedec.

O nível do rio já está abaixando e não há, de acordo com a Defesa Civil, registros de pessoas desaparecidas em Rio Casca. Também não há desabrigados e desalojados na zona urbana de Rio Casca. A cidade está sem água potável e um Posto de Coordenação de Comando e Controle foi montado em Rio Casca. “O posto está sob a coordenação da Defesa Civil Estadual e está envolvendo outros órgãos do Estado como a Cemig, a Copasa e o DEER/MG, na solução das demandas, além de órgãos municipais”, disse o porta-voz da Cedec.

Em Urucânia, devido à incidência das chuvas no município, ocorreram diversos deslizamentos de terra em muitas áreas de encostas. A administração municipal está contabilizando os danos e prejuízos. Quatro pessoas estão desaparecidas. Na zona rural, Sítio Parada Paulista, uma senhora e duas crianças teriam sido arrastadas pela força das águas. Ainda na localidade denominada Usina de Jatiboca, testemunhas informaram que o outro desaparecido seria um trabalhador rural. O Corpo de Bombeiros está realizando buscas no local. Na tarde de ontem foi localizada a vítima desaparecida, M. F.J. P R. de 13 anos, que foi reconhecida pela família. Ainda permanecem desaparecidas três pessoas.

Conforme a Sistema de Meteorologia e Recursos Hídricos de Minas Gerais (Simge), devido à atuação de uma Zona de Convergência de Atlântico Sul – ZCAS, haverá muitas áreas de instabilidade e ocorrência de chuvas em praticamente todo o estado.

 

 

# Compartilhe...FacebookTwitterGoogle+LinkedInPinterestEmail